Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘freelancer’

Nesta época do ano, há milhares de novas oportunidades para voluntariado.
As ONGs buscam ajuda para distribuição de doações agora na época de Festas e costumam ter projetos especiais para ajudar mais pessoas agora no Natal.

E assim, estas instituições precisam de mais mãos, braços e cabeças voluntárias e, várias vezes, precisam de ajudas especializadas, como de designers, jornalistas, etc.

Sempre arranjamos um monte de desculpas para não ajudar: falta de tempo, tenho que me focar nas minhas obrigações, primeiro preciso ganhar mais dinheiro e tal.

Mas são apenas desculpas. Querer é poder.

Fazer trabalho voluntário costuma ser mais fácil para os freelas, pela flexibilidade, mobilidade e pelo hábito de fazer trabalhos pontuais e em diferentes lugares.

As instituições têm feito esforços para tornar o trabalho voluntário mais sólido e atraente nos seguintes aspectos:
Vale a pena pensar em alguns pontos comuns ao voluntariado e ao freelance e aproveitar esta reflexão para começar um trabalho beneficente o quanto antes:

1. Flexibilidade
Os freelancers podem fazer voluntariado enquanto trabalham. Às vezes uma ONG precisa de algo simples como alguém para atender o telefone. Se você consegue trabalhar de qualquer lugar, com uma boa conexão de internet, fica mais fácil de atender às demandas de um trabalho voluntário, enquanto vai evoluindo nos seus jobs. É só uma questão de pensar onde você poderia se encaixar para colaborar.

2. Conhecimentos especializados
As pequenas instituições priorizam voluntários que tenham disponibilidade de tempo aos que têm algum know-how específico em determinada área. Com isso, acabamos vendo inúmeros materiais de divulgação em Comic Sans, sites com erros gramaticais, etc. Voluntariando-se para projetos específicos, você pode ajudar com seu expertise adquirido na sua profissão.

3. Trabalho profissional não é trabalho voluntário
É bom enfatizar que estamos falando aqui de voluntariado, não de trabalhar de graça. Sabemos que tem aquelas pessoas que adoram pedir a um freelancer para que ele faça um job “voluntário”, simplesmente porque o cliente não tem dinheiro para pagar. A maioria destes pedidos não têm como foco trabalhos para uma ONG ou qualquer entidade sem fins lucrativos e que ajude pessoas. Isto não é trabalho voluntário.
Voluntariado é dedicar seu tempo para uma organização que está trabalhando para causas nas quais você acredita.

Ignore os pedidos de trabalhos gratuitos e foque nos trabalhos voluntários.

texto traduzido daqui.

Anúncios

Read Full Post »

Para muitos freelancers, manter um arquivo é pouco prioritário. Sempre tem um layout pra terminar, uma ligação pra fazer pro departamento financeiro de um cliente e por aí vai… E o arquivamento sempre vai ficando pra trás.

Mas, de fato, arquivar documentos é importante. Se um dia você precisa resgatar uma versão antiga de um projeto do seu cliente ou se você precisa encontrar uma cópia de uma fatura, ter um sistema organizado é crucial.

Então aqui vão algumas dicas para organizar seus arquivos.

1. escolha ferramentas online

Há algumas questões que devem ser levantadas antes de se confiar plenamente nos aplicativos web para o seu negócio. Mas usar ferramentas online facilita muito a vida. Dependendo das ferramentas que você escolher, dá até para automatizar alguns processos de arquivamento.

2. tenha um arquivo de metal (ou de madeira, ou de plástico…)

não importa quantas ferramentas online você usar, há sempre aqueles documentos que você tem que ter cópias físicas. Caixas de sapatos não são a melhor forma de arquivar documentos a longo prazo, então invista um pouco e compre um arquivo de verdade. Pode ser um gaveteiro, um locker, uma pastas suspensas…

3. deixe seu arquivo simples e fácil

você não precisa de um sistema super elaborado de arquivo. Dependendo de quanto papel você usa no seu dia a dia, pode ser que algumas pastas sejam suficientes para você. O mais importante é ter organizado: contratos, impostos e contas

4. nomear corretamente na hora de arquivar

tudo bem se seus arquivos digitais não estiverem organizados em diretórios específicos, desde que você tenha uma lógica na hora de nomear os arquivos, porque aí você vai poder usufruir do “search” (ou “spotlight” no Mac) para conseguir encontrar rapidamente aquele arquivo perdido.

5. reserve um tempo para arquivar

dica: seus arquivos não vão se organizar sozinhos. separe um tempo para tirar os papéis de cima da sua mesa e guardá-los no arquivo, estante ou lata de lixo! se você se programar para fazer isso com frequência, vai ser uma rotina de uns 15 minutos por semana e pronto.

6. se seus arquivos estão te deixando maluco, terceirize.

mesmo que freelancers nem sempre tenham grana para bancar uma pessoa no administrativo, vale a pena pensar em investir em alguém que te ajude, nem que seja por períodos curtos, mas tem que ser alguém que consiga entender seu sistema de organização e que te ajude a melhorá-lo.

7. faça o máximo de backups possível

há inúmeras possibilidades de fazer backup nos seus arquivos do computador, inclusive imprimindo algumas cópias. Criar um sistema de backup de arquivos físicos é mais difícil, mas para documentos muito importantes vale a pena escanear e ter uma cópia de segurança digital.

livre tradução daqui.

Read Full Post »

Trabalhar por conta própria é o sonho de muita gente, principalmente daqueles que tem a alma de empreendedor. Trabalho Freelance é aquele cujo não há vínculo empregatício. Hoje em dia é muito comum ouvir o termo “freela“.

Principais vantagens

Cronograma próprio: você define seus horários e prazos.

Melhor remuneração: quem já é conhecido no mercado tem um retorno financeiro melhor do que trabalhar por um salário fixo dentro de uma empresa ou agência.

Maior visibilidade: assinar um trabalho de uma grande empresa com seu próprio nome terá uma grande força para destacá-lo no mercado.

Desvantagens

Trabalho individual: não existe trabalho colaborativo, ou seja, outras pessoas para ajudar no desenvolvimento e trazer informações pertinentes aos assuntos de interesse do projeto.

Instabilidade: a quantidade de jobs variam de mês a mês. Como não há uma renda fixa é importante ficar atento a contabilidade.

Características para o sucesso

Responsabilidade: ao trabalhar sem nenhuma cobrança externa (de outra pessoa) as chances de perder a concentração são grandes. Uma televisão, sofá, cama, violão, video game, dentre outros possíveis objetos que podem chamar a atenção e tirar o foco do trabalho. É preciso saber priorizar o que está fazendo.

Organização: ser um freelancer não se trata apenas de não ter chefe, mas de ser o próprio chefe. Dentre as principais cobranças a serem feitas é preciso estar ciente do cumprimento de metas e prazos.

Entusiasmo: bem como outras funções, se o freelancer não estiver preparado para encarar um trabalho oferecendo qualidade e agilidade na execução, provavelmente perderá alguns clientes.

Dicas

Não vá com muita sede ao pote. Alguns freelancers em início de carreira costumam assumir mais compromissos do que podem, o que causa inúmeros trabalhos atrasados e clientes insatisfeitos. Uma agência pode trazer além de uma experiência impagável, a noção de tempo a ser executado um trabalho e um portfolio extenso.

Faça um bom networking e sempre mantenha-se conectado com pessoas da mesma área. Dessa forma você será solicitado diversas vezes. Monte um portfolio de qualidade, quantidade não é tudo, se possível faça um filtro dos melhores cases que já fez.

daqui

Read Full Post »

200206769-0011) “Faça esse trabalho barato (ou de graça) e no próximo pagaremos melhor”
Nenhum profissional que se preze daria seu trabalho de mãos beijadas na esperança de cobrar mais caro mais tarde. Você consegue imaginar o que um advogado diria se você dissesse “me defenda de graça dessa vez que na próxima vez que eu precisar de um advogado eu te chamo e pago melhor”. Ele com certeza riria da sua cara.

2) “Nós nunca pagamos 1 centavo antes de ver o produto final”
Essa é uma pegadinha. A partir do momento que você foi contratado para fazer o trabalho você DEVE pedir uma entrada. O motivo é simples, você está trabalhando desde o momento que se dispõe a fazer a reunião de briefing. Talvez um cliente mais inexperiente queira pagar após ver alguns esboços. Cabe a você aceitar ou não.

3) “Esse trabalho será ótimo para seu portfolio! Depois desse você vai conseguir muitos outros”
Essa é uma das mais típicas. E costuma fazer vítimas principalmente entre jovens que ainda estão estudando. Para não cair nessa, basta pensar “quanto o seu cliente vai faturar com o seu trabalho?”. Além disso, não esqueça que, mesmo que ele indique seu trabalho para outras empresas, com certeza ele dirá quanto custou (ou se foi de graça) e imagine o que os próximos irão querer?

4) Olhando para seus estudos e rascunhos: “Veja, não temos muita certeza se queremos seu trabalho. Deixe esses estudos comigo e vou falar com meu sócio/investidor/mulher, etc e depois te dou uma resposta”
Não dou 5 minutos para ele ligar para outros designers com seus estudos e conceitos criados na mão barganhando melhores preços. Quando você ligar de novo ele dirá que seu trabalho está muito acima do mercado, blá blá blá, e que Fulano Designer vai fazer o trabalho. Mas como eles conseguiram outro designer mais barato? Lógico, você já passou o conceito todo criado! Economizou horas para o designer que vai pegar o trabalho. Então, enquanto você não entrar em acordo com seu cliente NUNCA DEIXE NADA CRIATIVO no escritório dele!

5) “Veja, o job não foi cancelado, somente adiado. Deixe a conta aberta e continuaremos dentro de um mês ou dois”
Provavelmente não. Seria um erro você não faturar o que foi feito até o momento esperando que o trabalho continue depois. Ligue em dois meses e você verá que alguém estará trabalhando no job. E adivinhe! Eles nem ao menos sabem quem você é… e o dinheiro do início do trabalho, lógico, já era!

6) “CONTRATO?? Nós não precisamos assinar contratos! Não estamos entre amigos?”
Sim, estamos. Até que alguma coisa dê errada ou ocorra um mal-entendido, e você se transforme no meu maior inimigo e eu sou o seu “designer estúpido”, aí o contrato é essencial! Simples assim! Ao menos que você não ligue em não ser pago. Qualquer profissional usa um contrato para definir como será o trabalho e você deve fazê-lo também!

7) “Envie-me a conta depois que o material for pra gráfica”
Por que esperar por esse deadline irrelevante? Você é honesto, não? Por que você deveria ficar preso a esse deadline? Uma vez entregue o trabalho, fature! Essa desculpa possivelmente é uma tática para atrasar o pagamento. Assim o material vai pra gráfica, precisa de alterações intermináveis e, adivinhe, ele arranja outra pessoa pra fazer as alterações necessárias, o material vai pra gráfica e você nem fica sabendo!

8 ) “O último designer fez esse job por R$ XX “
Isso é irrelevante. Se o último designer era tão bom por que ele te chamou? E quanto o outro cobrava não significa nada pra você. Pessoas que cobram muito pouco pelo seu tempo acabam fadadas ao insucesso (por auto-destruição financeira). Faça um preço justo, ofereça no máximo 5% de desconto e não abra mão disso.

9) “Nosso orçamento para esse job é de XX reais”
Interessante, não? Um cara sai para comprar um carro e sabe exatamente quanto ele vai gastar antes mesmo de fazer uma pesquisa. Uma quantia de trabalho custa uma quantia de dinheiro. Se seu cliente tem menos dinheiro e ainda assim você quer pegar o trabalho, dedique menos horas a ele. Deixe isso bem claro ao seu cliente, que você dedicará menos tempo que o estimado para finalizar o trabalho porque ele não pode pagar por mais horas. A escolha é sua.

10) “Estamos com problemas financeiros. Passe o trabalho para nós e, quando estivermos em melhor situação, te pagamos.”
Claro, mas pode contar que, quando o dinheiro chegar, você estará bem lá no final da lista de pagamentos. Se alguém chega ao ponto de admitir que está com problemas financeiros então provavelmente o problema é bem maior do que parece. Além disso, você por acaso é um banco para fazer empréstimos? Se você quer arriscar, pelo menos peça dinheiro adicional pelo tempo de espera. Um banco faz isso, não faz? Por que provavelmente esse é o motivo deles quererem atrasar seu pagamento, ter 6 meses de dinheiro “emprestado” sem ter que pagar juros, o que não aconteceria se ele tivesse que emprestar do banco. Não jogue dinheiro fora!

Bom, o motivo de tudo isso não é deixar você paranóico ou coisa do tipo, mas sim injetar um pouco de realidade no mundo de fantasia da maioria dos designers. Você certamente vai tratar com pessoas muito diferentes de você. As motivações e atitudes certamente são diferentes. Eu infelizmente vejo, muitas vezes, exemplos de pessoas envolvidas em situações com a mais nobre das intenções e acabam literalmente se dando mal. Porque a maioria dos designers enxergam os trabalhos como uma oportunidade de fazer aquilo que mais gostam com dedicação, simplesmente porque amam o que fazem! A outra parte não tem a negociação tão idealizada ou romantizada, muito pelo contrário.

Como lidar com todas essas coisas e ainda assim fazer um trabalho criativo? Boa pergunta! É por isso que ir atrás da informação é importante. Você aprende a trabalhar com todas as técnicas do design, mas não aprende a arte da negociação. Muitos designers ignoram este aprendizado, o que é um grande erro. Sugiro que o mínimo seja incorporado assim certamente você não sentirá seu trabalho como uma grande perda de tempo e dinheiro!


Fonte: texto original em inglês Painter Creativity
Tradução: Debora Behar

Read Full Post »

Você já ouviu falar do Principio de Pareto ou da regra dos 80:20? (é o princípio da teoria da cauda longa e tal…)

Ela fala que:
20% das causas resultam em 80% das consequências
20% do trabalho gera 80% do resultado
20% dos clientes proporcionam 80% do lucro
entre outros…

80-20-rule-4

Obviamente, os percentuais não são exatos, mas a premissa básica (de que uma pequena porcentagem do que fazemos traz a maior parte do resultado final) é uma ferramenta analítica muito útil para o seu negócio.
Se você quer aprender como aplicar a regra 80:20 na escolha dos seus clientes, seus preços e nos trabalhos que você faz, este artigo vai te ajudar.
Freelar 80:20 vai te permitir trabalhar menos e ganhar a mesma grana (!)
Se você tiver sorte (e perspicácia), você pode acabar aumentando a receita do seu negócio, fazendo menos e focando apenas no que realmente importa.

Usando o 80:20 nos clientes
Você consegue identificar o Principio de Pareto na sua base de clientes?
Vamos dizer que você tenha três clientes recorrentes por semana (os 20%) que pagam bem. Você tem que fazer muito pouco para manter este relacionamento: mande seu trabalho quando estiver finalizado, e pronto. Estes três clientes recorrentes provavelmente vão te render 80% do seu faturamento.
Considere os outros 80% – os clientes “de um job só”, os que pedem revisões, renegociações e coisas assim. Quando você finalizar o job deles, eles “terminam” com você.
O jeito que você vai aplicar o 80:20 para prospectar clientes é um pouco diferente, mas o espírito é o mesmo.
Sente e analise como você pode se beneficiar da regra 80:20 na prospecção dos seus clientes. Quem sabe você pare de ir atrás dos clientes de “um sucesso só” e foqu seus esforços em encontrar “O” cliente, aquele que paga bem?! 😉

Usando o 80:20 no atendimento
A ideia aqui é que 20% do relacionamento gere 80% de resultado.
Se você começa a perceber um padrão de negociações, encurte o processo criando um FAQ (respostas às perguntas frequentes) para todos os clientes prospects.
Para mim, o atendimento básico aos novos clientes é mais ou menos assim:

Primeiro email do cliente: “estou pensando em te contratar para x. Quanto você cobra?”
Resposta: ”Vou cobrar $100 por este trabalho”
Segundo email do cliente: “Você faria por $80?”
Resposta: “Não”
Terceiro email do cliente: “Hmmm… OK. Como te pago?”
Resposta: “Segue minha conta bancária”
Quarto email do cliente: “Te paguei. Vamos começar?”

Ou você pode pular esta parte. Quando um cliente te mandar um sinal de interesse e o job que ele descrever te interessa fazer, você já pode anexar um FAQ no seu primeiro email de resposta.
Outra coisa legal é você postar seus preços básicos no mesmo lugar onde você anunciar sua disponibilidade para freelas. Se você for como eu, 50% dos seus contatos iniciais vão terminar em “isto é mais do que eu posso pagar”, então evite esta troca de frustrações, já deixando seu preço claro, desde o começo.

Usando o 80:20 no dia de trabalho
Aplicado ao dia de trabalho ele representa algo como: 20% do trabalho gera 80% do dinheiro.
No meu caso, como um blogger freelancer, meu 80:20 se quebra mais ou menos assim:

80 = responder emails, ler feeds, pensar em ideias para posts, fazer lista de TO-Dos, controlar as finanças, mandar recibos
20 = escrever e finalizar artigos

Para identificar seu 80:20 a primeira pergunta que você tem que se fazer:  qual parte dos 80 você pode eliminar sem diminuir sua receita, ou pelo menos, sem perder mais dinheiro do que ganharia se redirecionasse seu tempo para tarefas dos 20?

Usando o 80:20 nos preços
Se você dobrar seus preços, mas sua prospecção de clientes cair uns 40%, você ainda estará ganhando mais dinheiro do que antes.
Menos clientes para administrar significa mais tempo no seu dia.

less_is_more

Moral da história
A essência da regra do 80:20 é focar no que é importante e eliminar (ou minimizar) o que não é.
Esta é uma regra simples que pode dar um “gás” nos seus trabalhos de freelancer.

E aí, como você divide seu 80:20?

livre tradução do texto original
de Skellie Wag

leitura sugerida:

21500867_4

Read Full Post »