Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \31\UTC 2009

O @pedrosmr compilou essas ferramentas para você saber tudo o que se passa no seu twitter:

1 – Confira quem postou algum link do seu blog ou site no Twitter
ferramentas twitter backtweets

Encontra mesmo os links convertidos com encurtadores de URL.
Me surpreendi com a quantidade de links que o pessoal colocou daqui!
Basta digitar o domínio que ele acha todos os links relacionados.

Linkhttp://backtweets.com/

2 – Encontre os RT’s que fizeram de seus tweets
ferramentas twitter checkretweet

Digite seu nome de usuário e a ferramenta mostra todos os RT gerados dos seus tweets!
Bom pra medir o impacto do que você twitta.

Linkhttp://www.checkretweet.com/

3 – Veja quem salvou seus tweets como favorito
ferramentas twitter favotter

Quase não usava essa funcionalidade de criar favoritos do Twitter até pouco tempo, mas tem sido bem útil ultimamente.
Com essa ferramenta você pode descobrir quem criou um favorito com um de seus tweets, além de ver qual foi ele, é claro.

Linkhttp://favotter.matope.com/en/

4 – Descubra quais dos seus amigos não te seguem
ferramentas twitter friendorfollow

Quem você está seguindo e que não está te seguindo de volta?
Quem está te seguindo mas você não está seguindo de volta?
Descubra tudo isso com essa ferramenta!

Linkhttp://friendorfollow.com/

5 – Faça buscas no Twitter quase em tempo real
ferramentas twitter topsy

Esse site busca nas conversações que estão acontecendo no momento os termos da busca, então os resultados saem bem atualizados.
Interessante para quem precisa pesquisar a repercussão alguma coisa.

Linkhttp://topsy.com/

6 – Veja o impacto de seus tweets
ferramentas twitter topsy

Descubra quais dos seus tweets fizeram pessoas te seguirem ou deixar de seguí-lo.
Basta colocar seu nick do Twitter e ele te mostra o impacto de cada um dos seus últimos tweets.

Linkhttp://tweeteffect.com/

7 – Verifique se um usuário é bom ou não para ser seguido
ferramentas twitter twitchuck

A ferramenta pontua o usuário de acordo com uma série de dados, como o número de tweets, frequência de uso, quantas vezes já foi bloqueado, etc.
Muito bom pra quem não quer ficar lendo muitas bobagens.

Linkhttp://www.twitchuck.com/

8 – Veja dados da conta de um determinado usuário
ferramentas twitter twittercounter

Mostra graficamente a evolução no número de seguidores, amigos e tweets, além de dar previsões baseadas nesses dados.

Linkhttp://twittercounter.com/

9 – Estatísticas sobre os hábitos de twittar de um usuário
ferramentas twitter tweetstats

Com essa ferramenta é possível ver estatísticas do número de tweets por hora, por dia, por semana, por mês e até os outros usuários com quem este mais interagiu.

Linkhttp://tweetstats.com/

Anúncios

Read Full Post »

Como a maioria dos freelancers AMAM o que fazem, pode parecer aceitável trabalhar mais de 80 horas por semana. Ok, às vezes você tem que tirar da frente aquele job e correr contra o relógio, mas isso não pode se tornar uma regra na sua vida.
Aqui vão algumas dicas de como balancear vida pessoal e trabalho:

1. ninguém é produtivo por 80 (ou +) horas na semana
Com pouquíssimas exceções, nunca vi ninguém que pudesse trabalhar mais de 80 horas. Alguma coisa está errada se você gasta todo este tempo trabalhando.  Se você não consegue sobreviver com seu trabalho usando menos do que 80 horas na sua semana… hora de repensar sua profissão!

2. 17:00! Hum… comece a pensar em uma pausa no trabalho.
Muitos de nós temos filhos pequenos, e eles dormem cedo. Portanto, se você tem um trabalho pra terminar, espere eles dormirem pra fazê-lo. O final da tarde é o horário onde você deve priorizar a família, deixe o trabalho no final da lista de prioridades, quando começa a cair a noite. Depois de jantar com a família, ver as crianças irem dormir… aí você pode se dar mais umas três (ou cinco?) horinhas de trabalho. Você vai ver como vai ser mais produtivo!
1056039_66995184

3. A hora do jantar é importante!
Veja porque é importante parar perto das 5h da tarde, você terá algumas horas para brincar com seus filhos, interagir com eles, conversar com sua esposa (namorada, namorado, namorido, noiva…), com a família, com os amigos. Saia da frente do computador e seja social um pouco, com as pessoas que são importantes na sua vida.

4. Saia de casa!
É imperativo que você saia de casa, do escritório, enfim, do seu lugar de trabalho. Pessoalmente, tenho tentado ir a lugares bonitos, parques, lagos, lugares onde eu consiga tirar boas fotos. É uma outra forma de criatividade que permite que minha mente se liberte. A criatividade não é algo que eu possa desligar na minha mente, mas eu posso ser criativo sem estar hipnotizado pelos pixels do computador.

5. Tente fazer algo que oxigene o corpo (e a mente!)
Não sou um cara super magro e sou bem preguiçoso, mas sempre que posso ando se bike pela vizinhança e levo meu filho comigo. É um momento que consigo ter total silêncio e clarear minhas idéias, alem de suar (e emagrecer!) um pouco.

Lembre-se que o trabalho é sua ferramenta pra ganhar grana, não é sua vida. Dinheiro é uma justificativa temporária para não estar lá, com as pessoas que você ama.
O tempo voa, as lembranças são “priceless”. Prefira a vida ao trabalho, a cada chance de escolha que você tiver.
Assim que você tiver acabado seu trabalho, claro! 😉

texto original
by Allan Branch

Read Full Post »

A Internet realmente revolucionou o mundo nesta última década. Acredito que a maior revolução da Internet esteja principalmente relacionado à invenção do correio eletrônico. O e-mail se tornou algo tão vital na sociedade moderna que é quase impossível conhecer alguém que não tenha um. Você conhece alguém que não tem? Se conhecer, é por pouco tempo.

Mas o e-mail também se tornou um grande problema para administração de tempo. Uma pesquisa da Tríade do Tempo, revelou que o Brasileiro gasta em média 3 horas diárias, para ler, organizar e responder seus e-mails! Sem uma estratégia, você pode gastar muito tempo sem necessidade.

caixa-de-correio-mulher

Se você tem problemas com seus e-mails aqui vão algumas dicas:

1. Tenha um e-mail oficial e um e-mail secundário

quando precisar se registrar em sites duvidosos ou em malas diretas utilize sempre seu e-mail secundário, assim evita que seu e-mail principal fique cheio de bobagens.

2. Crie horários para checar suas mensagens

Desligue seu e-mail e crie horários específicos para checar novas mensagens. Minha sugestão é no máximo 5 períodos durante o dia, evitando as interrupções constantes. Se você precisar muito, crie uma regra em seu software para avisá-lo quando o e-mail de uma pessoa realmente importante chegar.

3. Ao ler um e-mail tome uma ação imediata

Se o e-mail exigir alguma ação que irá tomar até 3 minutos então, faça logo. Se você deixar para depois vai ter que reler o e-mail e tomar a ação que já poderia ter sido feita. Se exigir um tempo maior de 3 minutos delegue ou crie uma tarefa para atender a esse e-mail em um horário mais apropriado.

4. Evite manter sua caixa de entrada com muitos e-mails

Muitos e-mails podem significar muitas pendências. Se você precisa fazer algo referente a um e-mail defina isso em sua agenda e apague-o da sua caixa de entrada. E-mails acumulados podem ser fontes de esquecimentos, problemas e dificuldade de localizar informações quando precisar.

dica do vocecommaistempo

Read Full Post »

Onde está o Pto?

PROMOÇÃO RELÂMPAGO

A primeira pessoa que acertar onde aparece o nosso logo neste video da Globo, ganhará este MARAVILHOSO esquentador de café USB.

O exato segundo da aparição do logo deve ser informado pelo twitter, assim:

@ptodecontato #promocaorelampago #ptodecontato #coworking 03:57

O grande vencedor será anunciado no próprio Twitter e deve vir aqui no Pto de Contato retirar seu prêmio!

cafeusbNosso muito obrigado ao @colantur, o “galã global” que estava com nosso logo na tela no momento da reportagem! 🙂

Read Full Post »

business
Não monte uma empresa.
O mundo está cheio de mega-corporações dispostas a te pagar um bom salário, uma volta ao mundo e, de repente, até uma secretária.
Não monte sozinho.
Tenha bons sócios. Ou não apenas bons: sócios que te complementem: você precisa de gente que seja excepcional no que você não é. (São raríssimos os casos de empreendedores solitários; às vezes você não vê, mas procure que você vai achar o sócio que toca a empresa enquanto o outro aparece no jornal.) Acho que uma afinidade profunda entre os sócios é fundamental para a empresa funcionar bem.
Escolha um mercado grande,
que já exista e, de preferência, que esteja crescendo. A escolha do seu mercado pode ser o fator mais importante para definir o seu sucesso/fracasso. O erro de muita empresa é entrar no mercado errado.
Tenha um mantra
não missão, visão e valores. (Você não tem tempo para pensar nisso agora.) Três palavras têm que resumir o que você está fazendo. E, se você e seus sócios não estão alinhados nisso, desista rápido. Desista também se você não consegue resumir em três palavras o que vocês querem fazer.
Resolva um problema do cliente,
e não seu. Saiba exatamente o qual é o problema que o seu produto vai resolver, conheça quem tem esse problema e quanto essa pessoa pagaria para vê-lo resolvido. Não monte um bar só porque ainda não existe na sua cidade um bar igual àquele de Berlim. (Bares e restaurantes são os negócios relativamente fáceis de abrir e extremamente difíceis de tocar, aliás. Evite.)
Fluxo de caixa é (muito) mais importante do que business plan.
Você não morre se não seguir o planejamento estratégico – às vezes, cresce até mais rápido. Mas errar no fluxo de caixa pode te matar ou, pior, deixar você numa situação de tensão permanente, que impede que você pense no fundamental: equipe, desenvolvimento de produto e vendas.
Esqueça o business plan.
Tenha uma meta clara ligada a vendas. Desenvolva o seu produto, tenha os seus deadlines e trabalhe. Flexibilize seu foco/nicho se for para gerar caixa. (Isso pode te ajudar a descobrir um perfil novo de clientes que você não enxergava antes de montar a empresa.) É muito raro uma grande empresa que faz hoje o que ela nasceu para fazer.
Velocidade é mais importante do que tudo.
Corra para colocar o seu produto na prateleira. Ganhe tempo onde puder. Leia sobre produtividade pessoal e gestão de projetos. Não comprometa a qualidade para ir mais rápido: trabalhe em menos produtos, em menos versões, faça o que você já sabe, foque no fundamental, etc.
Vendas é mais importante do que velocidade.
Quer dizer: velocidade só importa para gerar vendas. A sua empresa só existe depois da primeira venda. Antes, por mais que você trabalhe, ela é no máximo um businessplan com CNPJ.
Comece com serviço e escale com produto.
Serviço tem matéria-prima barata (a sua hora), exige pouco investimento e você só começa a trabalhar com receita garantida. Mas serviço depende de gente, um non-scaleble resource: ou seja, é muito difícil escalar, crescer rápido, prestando serviço. Enquanto presta serviço, desenvolva o seu produto e monte uma plataforma (equipe, sistemas e processos). Aí, em cima dessa plataforma, comece a vender o seu produto – que você consiga produzir em milhares, milhões de unidades.
Monte processos agora.
Não pare depois para fazer isso. Escreva os processos enquanto executa. Abra o Google Docs e mande bala. Um bom processo é inimigo da burocracia – e não seu orinigador. Se eles estão parecidos, é porque (1) o processo está mal desenhado ou (2) você ainda não percebeu o benefício dele quando for trabalhar em escala.
Use web-based-softwares.
Google Apps, Basecamp, Highrise, Remember the milk, Salesforce, etc. Porque são acessíveis de qualquer lugar, flexíveis, fáceis de usar, baratos, escaláveis – você paga mais no ritmo em que cresce – e não precisam de um cara de TI.
Não contrate.
Faça tudo você mesmo e seus founding partners. Se sentir que precisa contratar, olhe tudo que você está fazendo – técnicas de produtividade te ajudam a deixar isso transparente – e (1) pense se tudo isso precisa ser feito, (2) se tudo isso precisa ser feito agora e (3) se não tem uma forma de fazer essas coisas de uma forma mais eficiente.
Monte a melhor equipe do mundo, quando precisar contratar. Uma empresa de 5-10 pessoas não pode se dar ao luxo de contratar uma pessoa média. Considere – quase apenas – curiosidade, drive e ética.
spider
Jovens e/ou estagiários se acham os melhores profissionais do mundo. Acredite neles.                                                                                       Por vários motivos: (1) porque não tem vícios de como trabalhar, (2) porque ainda não tiveram as ambições profissionais frustradas pela burocracia de mega-corporações, (3) porque tem estagiários excelentes por aí e (4) porque são mais baratos. (Mesmo se fossem o mesmo preço de um cara com cinco anos de experiência, em muitos casos eu preferiria estagiários.) Isso não significa montar uma indústria de mão-de-obra barata: pague mais caro pelos melhores estagiários e contrate-os quando se formarem (porque, se você estiver funcionando até lá, provavelmente vai poder fazer isso.)
Procure cabelo branco, se você não tem. Não adianta passar talco. Tenha poucas pessoas mais velhas na sua equipe que te oriente no mercado, que conheça as pessoas, te ajude a evitar problemas que você enfrentará pela primeira vez, abra contato em grandes empresas (clientes, fornecedores, etc.), etc
Organize-se em peers – e não em subordinados. E numa estrutura matricial. Coloque pessoas trabalhando ao lado uma da outra e não como subordinados – o que é uma tendência natural. Mesmo que uma pessoa seja Phd e a outra esteja no primeiro ano da faculdade. Assim, você multiplica a capacidade de execução da empresa (mais responsabilidade, menos gente esperando autorização para fazer as coisas), estimula a uma colaboração entre a equipe e uma pressão/ competição peer-to-peer que, entre pessoas civilizadas, é saudável.
Empresa = Pessoas, Sistemas e Processos.
É em cima dessa plataforma que você vai escalar. Pense em como você está evoluindo nesses três aspectos sempre.
Esqueça o seu salário.
E remunere a sua equipe agressivamente em cima de metas que gerem caixa. Reinvista, enquanto puder, a sua retirada.
Plante sementes.
Você não precisa resolver todos os problemas e executar todas as idéias agora. Mas anote as idéias para serem aperfeiçoadas e executadas no futuro.
Seja obcecado por técnicas de produtividade.
Você precisa produzir umas 20 vezes mais do que uma pessoa normal, então não tente só trabalhar vinte vezes mais. (Você não tem horas no dia para isso). E isso não significa ser organizado – nem sempre organização é voltada à produtividade.
Saiba o que é fundamental.
Esqueça o resto. O dia-a-dia é lotado de distrações disfarçadas de urgências.
Monte uma estrutura no-cost.
Não gaste em nada supérfluo. (Se você não sabe o que é supérfluo, melhor não montar uma empresa.) Hoje, de sistemas a escritório físico, existem várias opções muito baratas, gratuítas e flexíveis. Peça para a sua irmã designer desenhar o logo, o seu primo arquiteto desenhar o lay-out do escritório e seu padrinho advogado montar o contrato social.
Enfie a mão na graxa e execute.
Esqueça a separação entre trabalho nobre (apresentação para investidores) e monkey-job (pedir para o administrador do prédio deixar o ar-condicionado no domingo). Três benefícios: (1) economia com assistente num primeiro momento, (2) você já vai desenhando processos para esse trabalho ser feito da forma mais rápida pelas próximas pessoas (economia de assistentes de assistentes num segundo momento) e (3) as coisas acontecem mais rápido.
Lave a mão e esteja preparado para tomar decisões mais sofisticadas.
Negociar um aporte de capital, escolher um canal de vendas, etc.
Esqueça assistentes e secretárias.
Faça a sua agenda, as suas ligações, organize as suas viagens, etc. Você vai ver – isso ainda é mais eficiente e aproxima você de cliente, fornecedores, etc.
Compartilhe as suas ideias com outras pessoas.
Isso te ajuda a pensar melhor no seu produto e na forma se organizar. As pessoas adoram ajudar quem pede ajuda. É bobagem evitar contar uma ideia supostamente genial porque a pessoa vai roubá-la. Qualquer empreendedor tem um milhão de ideias geniais na cabeça, mas só executa uma ou outra. A diferença está na execução.
Persistência é tudo.
A princípio, todo mundo é inimigo de uma empresa nova: os fornecedores tem gente mais importante para atender, concorrentes não querem ver você tomar espaço, os clientes não te conhecem, ninguém quer trabalhar numa empresa que está nascendo, etc. Você precisa partir desse pressuposto e saber explicar para as pessoas que não é bem assim (que você sabe o que está fazendo, que existe mercado, que os clientes querem o seu produto, etc.).
Trabalhe alucinadamente.
Não adianta: uma empresa não é montada só em horário comercial.
Divirta-se.
Ninguém quer trabalhar num clima cinza, chato. E um ambiente divertido é também muito mais transparente, rápido e produtivo.

Read Full Post »

1. NÃO COLOQUE TODO PESO DO NEGÓCIO NO PREÇO.

A grande maioria dos vendedores administra o preço como sendo o fator mais importante do processo de compra e venda. A experiência, no entanto, mostra que o preço é mais importante na mente do vendedor do que na mente do cliente.

2. NÃO PENSE QUE OS CLIENTES PENSAM COMO VOCÊ.

Os vendedores projetam nos clientes suas ideias, sentimentos e emoções. Por isso, tendem a acreditar que os clientes pensam e agem como eles. Um vendedor que está sem dinheiro tende a pensar que todos estão sem dinheiro! Só que isso não é verdade! Cada pessoa está em um estágio diferente e é impulsionada pelos seus próprios motivos. Você poderá ter o foco totalmente orientado para o preço na hora de fechar uma compra. Já para o seu cliente o preço poderá ser apenas mais um dos fatores a ser analisado ou até mesmo algo a não ser considerado. Cada um de nós tende a interpretar o mundo de acordo com a sua interpretação, bagagem emocional e poder que acredita ter.

3. NÃO DEIXE TRANSPARECER A IDEIA DE QUE SEUS PREÇOS SÃO MUITO ALTOS.

Muitas vezes a comunicação corporal contradiz o que está sendo dito através de palavras. É exatamente por esse motivo que as pessoas, quando não estão sendo sinceras ou estão faltando à verdade, evitam olhar nos olhos dos interlocutores. Se você não acreditar que o seu produto vale o que por ele está pedindo, o seu corpo acompanhará o seu pensamento e ficará mais difícil convencer os clientes a pagarem o preço pedido.

4. NÃO TENHA MEDO DE FALAR DO PREÇO.

Estudo recente mostrou que:

· 94% dos vendedores não fala sobre o preço até ser questionado pelos clientes;
· 44% dos vendedores mudam de assunto quanto questionado sobre o preço;
· 33% não diz o preço de forma clara e audível, preferindo escrever ou apontar.

Quando demonstra medo ou insegurança na hora de informar o preço você passa ao cliente a ideia de que está escondendo alguma coisa. Você não acha que o cliente vai pensar que você está inseguro porque está vendendo mais barato do que deveria, acha? Com certeza não! Você tem dificuldade de dizer o seu nome quando alguém pergunta? Não tem. Pois aja da mesma forma quando perguntarem o preço.

5. CUIDADO COM A FORMA QUE VOCÊ ADOTA PARA APRESENTAR O PREÇO.

Na hora de apresentar o preço seja direto. Você consegue perceber alguma diferença nas formas abaixo?

· O preço deste aparelho é 100;
· Nós estamos vendendo este aparelho por 100;
· O nosso preço normal é 100;
· O nosso preço de tabela é 100;

A primeira é direta. O preço é “X” e pronto. É a recomendada porque não deixa margem para o cliente pensar que poderá existir negociação. Na segunda, quando você diz: “nós estamos vendendo…”, pode ser interpretado como – o preço até agora era 100, mas pode mudar… Nas outras duas as palavras “normal” e “tabela” deixam no ar a ideia de que o preço normal é 100, mas é possível fugir da normalidade.

shakinghands

6. NÃO DIGA NADA QUE PASSE A IDEIA DE QUE O SEU PREÇO É ALTO.

Existem formas de se comunicar ou até algumas frases feitas que, mesmo sendo ditas em tom de brincadeira, devem ser evitadas. Veja alguns exemplos:

· “Vou dizer o preço. Prefere saber sentado ou em pé?”;
· “O melhor que eu posso fazer é…”;
· “Você está pronto para saber o preço?”;
· “Eu sei que o meu preço não é barato, mas…”;
· “Quer saber por que o meu produto é mais caro?”.

7. NÃO DIGA NADA QUE PASSE A IDEIA DE QUE O SEU PREÇO É NEGOCIÁVEL.

Tanto você como o cliente sabem que os preços são negociáveis. Mas só use essa alternativa quando não tiver outra. A partir do momento em que você acena com a possibilidade de dar um desconto, os números começam a cair na mente do cliente. Então não diga coisas como:

· “O meu preço é 100. Está bom pra você?”;
· “O meu preço normal é 100. Mas, se você for comprar mesmo…”.
· “Para mim vender para a sua empresa é questão de honra”;
· “Nós somos parceiros há muito tempo. Não é qualquer coisa que vai nos separar”;
· “Eu preciso aumentar as vendas para a sua empresa”.

8. NÃO DIGA NADA QUE LEVE O CLIENTE A PESQUISAR PREÇO.

Muitos vendedores, e até empresas, orientam o cliente a pesquisar preço – “Se você achar mais barato volte aqui que nós cobrimos”. Você acha que o cliente não vai usar o seu preço para barganhar? Quantos clientes você já não perdeu adotando essa tática? Pode acreditar que foram muitos. Você mesmo mandou o cliente para os braços do seu inimigo. Então, não diga nada parecido com:

· O nosso preço é o mais barato da região;
· Eu o desafio a encontrar um preço mais barato na praça;
· O nosso produto tem benefícios que os outros não têm;
· O nosso preço é esse porque nós somos fabricantes;
· Você pode pesquisar por aí que não vai encontrar preço igual ao nosso.

9. NÃO INCENTIVE OS CLIENTES A CONTESTAREM O SEU PREÇO.

Alguns vendedores adotam táticas suicidas que induzem o cliente a contestar o preço. Você não deve incentivá-los. Os clientes já são suficientemente criativos para arrumar formas de se defender. Então, evite dizer coisas do tipo:

· Então me diga quanto eu devo cobrar?
· O que eu preciso fazer para vender para a sua empresa?
· Você pagaria 100 por este produto?
· Estou fazendo este preço para um teste. Depois voltamos a negociar, ok?
· Você está pensando comprar da gente este ano, não está? Pois, dependendo do pedido posso dar um desconto maior.

10. NÃO DEIXE O CLIENTE PERCEBER QUE VOCÊ ESTÁ DESESPERADO PARA VENDER.

Muitos vendedores, acreditando que conseguirão sensibilizar os clientes, utilizam táticas que apelam para a emoção. Esse método pode funcionar uma vez ou outra, mas você não deve confiar na boa vontade de todo cliente. A grande maioria vai usar essa sua franqueza como fraqueza para tirar de você tudo que puderem. Afinal “business is business”, você não acha? Então evite frases como:

· Você precisa me ajudar;
· Preciso fechar a minha quota ainda hoje;
· Só tenho esta semana para fechar a quota do trimestre;
· Se você aumentar o pedido em 10% saio daqui com a quota do mês fechada;
· Se eu sair daqui sem o pedido fechado o meu gerente vai me matar;
· Sou novo nesta região e preciso da sua ajuda para me firmar;
· Você precisa me ajudar a ganhar o leite das crianças.

post do thinkoutsider

Read Full Post »

Quer completar seus projetos com sucesso? Tudo feito na hora certa, dentro de orçamento, e com os recursos disponíveis? Estes passos de administração de projeto assegurarão que você pratique administração de projeto efetiva.

projeto

1. Selecione o projeto

Monte a equipe que deve se juntar ao projeto para uma integração positiva.

2. Defina os requisitos

esperados pelos clientes interno ou externo, relacionando os resultados ou saídas do projeto.

3. Defina o escopo do projeto e o resultado desejado.

Como parte desta definição, determine onde o projeto começa e termina, identificando quais dos requisitos serão atendidos. Qual o primeiro passo? Qual é o seguintes? Qual o último?

4. Defina metas mensuráveis

que habilitarão saber que o projeto seja realizado. Defina seu orçamento para o projeto. Determine as pessoas e horas necessárias para completar o projeto.

5. Determine como você comunicará o progresso e as realizações

e coletar informações dos membros da empresa que não estão na equipe.

6. Desenhe o fluxo do processo atual

Para um projeto específico, liste os passos necessários para realizar o projeto.

7. Avalie como o projeto atual está sendo executado

agora mesmo, se for um projeto longo. Estude os dados para ajustar suas metas e expectativas.

8. Determine se há necessidade de mais informações, recursos ou as pessoas para completar o projeto

Traga as pessoas e recursos identificados para o grupo. Nesse ponto você talvez tenha que recorrer a um facilitador para obter os recursos.

9. Crie um plano de ação para completar as atividades do projeto

Aloque as pessoas apropriadas para completar cada atividade. Estabeleça uma prazo para a conclusão de cada atividade. Certifique-se de que as pessoas tenha disponibilidade de tempo necessária para aloca-la ao projeto.

10. Determine um método contínuo para identificar se os passos são realizados tão planejados

Faça reuniões semanais, instale uma agenda centralizada do projeto, publique a documentação de seu projeto, incluindo as minutas das reuniões, na sua Intranet para que todos possam interagir com o projeto.

11. Cumpra o plano de ação

Documente os métodos usados para realizar cada passo. Você pode querer compartilhar os passos e metas e duplicar aqueles bem sucedidos, registrando as experiências de sucesso.

12. Determine como a equipe irá medir, registrar, e acompanhar a efetiva implementação de projeto

Essas informações são fundamentais para o planejamento dos futuros projetos.

13. Usando os dados coletados, avalie os resultados

Como o projeto atendeu às expectativas e satisfez os planejadores e participantes? Se não, por que não? Documente os resultados para futuros projetos.

14. Reconheça e celebre as realizações da equipe

Pessoas gostam de ter seu bom trabalho reconhecido.

15. Determine como as lições aprendidas e experimentadas durante este projeto podem ser aplicadas em projetos no futuro

Compile uma relação de “melhores práticas” para a gerência de projetos.

Dicas do Marco Aurélio

Read Full Post »

Older Posts »